Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
74458 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> DIA 5 DE OUTUBRO – BJÖRK DIGITAL ONLINE!
>>> Próxima Live do Grupontapé será realizada com o ator e diretor teatral do Grupo Galpão de Belo Horiz
>>> Contos do Índio e da Floresta estreia dias 03 e 04 de outubro na Sympla Streaming
>>> “Conversa de Criança – Coronavírus” discute o acolhimento das emoções das crianças durante pandemia
>>> São Paulo ganha grafitti gigante que propõe reflexão sobre igualdade racial
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Zé Rodrix, 5 anos depois
>>> Ser intelectual dói
>>> Falta alguma coisa ali no meio
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Encontros (e desencontros) com Daniel Piza
>>> Plantar bananeira, assoviar e chupar cana
>>> Leitores (e, não, autores) novos
>>> Olgária Matos
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Despertar das Águas de Antonio Miranda pela Thesaurus (2006)
>>> A Noite e a Madrugada de Fernando Namora pela Nórdica (1986)
>>> A bola e o Goleiro de Jorge Amado pela Companhia das Letrinhas (2008)
>>> “Existe índio gay?”: a colonização das sexualidades indígenas no Brasil de Estevao Rafael Fernandes pela Brazil Publishing (2020)
>>> Infantilis de Vladimir Queiroz pela Terracota (2003)
>>> Mínimas Leituras Múltiplos Interlúdios de José Mário da Silva pela Ideia (1987)
>>> Raptos de Guadalupe Ángeles pela Ceca (2010)
>>> Fogo na Noite Escura de Fernando Namora pela Europa-Améica (1988)
>>> Um home é muito pouco de Ronaldo Costa Fernandes pela Nankin (2010)
>>> O dia em que choveu cinza de Domingos Pellegrini pela Moderna (2003)
>>> Poucas Tragédias de Felipe Sodré pela Mileto (2004)
>>> Livros brasileiros traduzidos para o francês de Estela dos Santos Abreu pela Bn (2008)
>>> Marulheiro. Viagem através de Aurélio Buarque de Holanda de Ruth Vasconcelos pela Edufal (2008)
>>> Bissexto de Pedro Galvão pela Arte Pau Brasil (2007)
>>> A Trégua de Mario Benedetti pela Brasiliense (1989)
>>> Dimensões Temporais na Poesia e Outros Ensaios Volume 1 de César Leal pela Imago (2005)
>>> Poesia Reunida 1985 - 1999 de Luís Filipe Castro Mendes pela Topbooks (2001)
>>> Ilusões pesadas de Sacha Sperling pela Companhia das letras (2011)
>>> Básico de Contabilidade + Finanças de Margarida Autran e Cláudio Ulysses F. Coelho pela Senac (2014)
>>> Bruce Springsteen de Somtrês pela Três
>>> Peter Frampton = O príncipe da Guitarra de Somtrês pela Editrês
>>> Luthiers=Artesãos Musicais Brasileiros de Carlos Roque pela Do autor (2003)
>>> Psicanalise e religião de Grégoire Lemercier pela Brasília / Rio
>>> Psicanalise e religião de Grégoire Lemercier pela Brasília / Rio
>>> Sae Digital Espanhol 9º Ano - Livro 1 de Eduarda Regina Drabczynski da Mata pela Sae Digital (2017)
>>> Toque Violão em um toque de Tadeu Moura pela Toque Musical (2014)
>>> Dr. Slump nº 5 de Akira Toriyama pela Conrad (2002)
>>> John Lennon de Domingo Alzugaray pela Cátia Alzugaray (1999)
>>> A Vida com minha Irmã Madonna de Christopher Ciccone pela Planeta (2020)
>>> Reiki Plus Manual do Terapeuta Profissional de Segundo Grau de David G. Jarrel pela Pensamento (1995)
>>> A Teologia Tem Algo a Dizer a Respeito do Ser Humano? de Hermilio Pretto pela Paulus (2003)
>>> Ouvindo Estrelas de Marco Mazzola pela Planeta (2007)
>>> Gurus de Max Bohm; João Piccioni pela Empiricus (2018)
>>> Criptomoedas: melhor que dinheiro de André Franco. Vinícius Bazan pela Empiricus (2018)
>>> Todas as entrevistas da Lado A Discos de Neigmar de Souza Vieira pela Do autor (2015)
>>> Meio Ambiente e Atividades 8º ano de Cláudia Freitas de Oliveira pela Sas (2016)
>>> Para um homem de êxito de Lidia María Riba pela Vergara & riba (2004)
>>> A arte de virar a página de Adriana Falcão pela Fontanar (2009)
>>> Uma mulher chamada guitarra de Vinícius de Moraes pela Boa companhia (2013)
>>> Mozipédia=A enciclopédia de Morrissey e dos Smiths de Simon Goddard pela Leya (2013)
>>> Crônica de D. Fernando de Fernão Lopes pela Livraria Clássica (1966)
>>> Sete Pecados Capitais de Corey Taylor pela BestSeller (2013)
>>> Rafael Ilha = As pedras do meu caminho de Sonia Abrão pela Escrituras (2015)
>>> Presente do Mar de Anne Morrow Lindberg pela Crescer (2002)
>>> Quarto de despejo de Carolina Maria de Jesus pela Ática (2005)
>>> Crônica de D. Pedro I de Fernão Lopes pela Livraria Clássica (1963)
>>> Impact 2 - Students Book de James Taylor / Manuel Luna / Cristina Herrero pela MacMillan (1994)
>>> Inocência de Visconde de Taunay pela Ática (2001)
>>> Anjos na Neve de David Guterson pela Record (1999)
>>> Arte de Viver de Ansdré Maurois pela Vecchi (1940)
COLUNAS

Quarta-feira, 28/12/2016
Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso
Cassionei Niches Petry

+ de 2800 Acessos

“Não se lê Lúcio impunemente”, afirma André Seffrin no prefácio à edição conjunta das novelas Mãos vazias e O desconhecido. Lúcio Cardoso é um escritor da angústia, de personagens angustiados e de leitores que se angustiam. Saímos de seus livros nos sentindo condenados por vivermos felizes em mundo em que a miséria humana está sempre presente ou a nossa porta ou dentro mesmo dos nossos lares.

Mãos vazias foi publicada em 1938. Inicia com a espera de uma morte que acaba acontecendo logo nas primeiras páginas e é dolorida por se tratar da morte de uma criança. Luisinho, seis anos de idade, é filho de Ida e Felipe. Ela, até os últimos momentos de vida do menino está ao seu lado, numa dedicação extrema. O pai, por sua vez, apenas demonstra certa tristeza e desespero pelo que acontece. Quando a criança enfim se vai (e escrevo estas linhas num Dia de Finados) devido à tuberculose, Ida demonstra mais tranquilidade, frieza até, tanto que acaba fazendo sexo com o médico do filho logo depois de seu enterro. (Na adaptação cinematográfica da obra, o diretor Luiz Carlos Lacerda realiza a cena na mesma cama onde está, coberto por um lençol, o corpo do menino.) Já Felipe entra em mais desespero ainda, porém, parece, talvez apenas para demonstrar aos outros, principalmente aos vizinhos, seus sentimentos.

É o estopim para que Ida passe a externar seu desprezo pelo marido e deseja se libertar, saindo de casa, não sem antes revelar para o marido que dormiu com o médico. O marido não acredita em princípio, o que a deixa mais indignada com ele, sua falta de atitude, seu conformismo, sua mediocridade. “Queria-o mais ríspido, imaginava proezas que o pobre Felipe nunca chegaria a realizar. Nem sequer seria capaz de compreender o seu pensamento, quando chegasse a descobrir os estranhos desejos que a perturbavam.” É contra o conformismo que a protagonista mais se revolta, como nesse diálogo com sua melhor amiga: “- Ana, é possível que você viva conformada com a sua existência? (...) - Tenho marido. De que mais preciso?”

O desconhecido, de 1940, relata a história de um forasteiro que chega a uma fazenda procurando trabalho. “Batizado” pela proprietária de José Roberto (não ficamos sabendo do seu nome verdadeiro), mesmo nome de um falecido capataz da propriedade, é um estranho numa terra estranha, parafraseando o título de um romance de ficção científica. Pois esse “alien” desestabiliza ainda mais o lugar. A dona, a velha Aurélia, é dominadora e explora seus empregados, inclusive sexualmente. Expulsa a filha da empregada Elisa por ciúmes de sua beleza (“Essa menina é uma negação da minha própria existência.”) e ainda impede a mãe de vê-la. O cocheiro Miguel deixa os cachorros com fome para dominá-los e sente inveja do desconhecido, que pode lhe roubar os privilégios que tem com a velha. Já outro empregado, Paulo, namora às escondidas com a filha de Elisa que está morando em uma igreja próxima e deseja fugir com ela. José Roberto divide com ele a mesma cabana, o ensina a ler e parece ter uma atração homoerótica pelo discípulo, que parece sentir o mesmo, e tudo isso os deixa muito angustiados: “Nesse instante, ambos estavam tão próximos que um sentia no rosto a respiração do outro. E sem saber por que, ambos compreenderam que já não havia entre eles nenhuma hostilidade e que, ao contrário, alguma coisa poderosa como o instinto os tinha unido, como se, colhidos pela engrenagem de um fato misterioso e inesperado, devessem lutar juntos para se libertarem.” A condição sexual do protagonista, ao que parece, é a provável justificativa para ter saído de sua casa para buscar trabalho longe da cidade.

Vale ressaltar que o próprio Lúcio Cardoso vivia essas angústias enquanto escrevia a novela, conforme relatou em seu diário pessoal: “Os sentimentos que então me agitavam, a paixão desnorteada, a falta de caminho – ah, coisas da idade! – enquanto escrevia uma novela (O desconhecido) onde tentei lançar, encoberto, um pouco de tudo o que então me perturbava... e não era aquilo uma simples manifestação de vida, infrene e cega, do meu sangue, tumultuado e forte, manifestando por todos os modos sua vontade de existir e de criar?” Difícil aqui separar autor e personagem. E o leitor, de certa maneira, sofre junto com eles.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 28/12/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Ourivesaria fantasista: Saramago nas alturas de Renato Alessandro dos Santos
02. O tigre de papel que ruge de Celso A. Uequed Pitol
03. O dia que nada prometia de Luís Fernando Amâncio
04. Notas confessionais de um angustiado (V) de Cassionei Niches Petry
05. Poesia e Guerra: mundo sitiado (parte II) de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry em 2016
01. O suicídio na literatura - 13/4/2016
02. Ler para ficar acordado - 18/5/2016
03. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso - 28/12/2016
04. Proibir ou não proibir? - 10/2/2016
05. Notas confessionais de um angustiado (V) - 26/10/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SÍNDROME DE PETER PAN
DR. DAN KILEY
MELHORAMENTO
(1985)
R$ 17,00



BRINKMANN O CINEMA EM PALAVRAS
ROLF DIETER
FENDA
(1995)
R$ 49,70



ELEGÂNCIA COMO O HOMEM DEVE SER VESTIR
FERNANDO DE BARROS
NEGOCIO
(1997)
R$ 5,70



O GUARANI
JOSÉ DE ALENCAR
EDIOURO
(2004)
R$ 6,90



PERTURBAÇÕES SONORAS NAS EDIFICAÇÕES URBANAS
WALDIR DE ARRUDA MIRANDA CARNEIRO
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(2004)
R$ 30,00



O DESTINO VEM DO BERÇO? DESIGUALDADES E REPRODUÇÃO SOCIAL
CAMILLE PEUGNY
PAPIRUS
(2014)
R$ 23,90



DICTIONNAIRE FONDAMENTAL DE LA LANGUE FRANÇAISE
GEORGES GOUGENHEIM - 3ª EDIÇÃO
LIVRARIA BERTRAND (LISBOA)
(1978)
R$ 28,82



WILLIAM SHAKESPEARE: THE COMPLETE WORKS - COMPACT EDITION
WILLIAM SHAKESPEARE
OXFORD UNIVERSITY PRESS
(1988)
R$ 199,99



TEMPO E VENTO
ILZA MONTENEGRO
PROL
(1985)
R$ 11,00



GRANDE ATLAS MUNDIAL SELEÇÕES
SELEÇOES
SELEÇÕES READERS DIGEST
(2007)
R$ 99,90





busca | avançada
74458 visitas/dia
2,2 milhões/mês